Lançamento da Campanha Diálogos pela Liberdade 2015 e 33 Anos de Pastoral da Mulher

No dia 16 de setembro de 2015, realizou-se o lançamento da campanha 2015 do Projeto Diálogos pela Liberdade, data em que também foi comemorado o 33º aniversário da Pastoral da Mulher de Belo Horizonte, instituição idealizadora do projeto. O lançamento  serviu para apresentar publicamente as ações planejadas para o Diálogos 2015, novamente apoiado pela Misereor, grande parceira de caminhada .

capa 33 anos pastoral

O evento contou com numerosa presença das mulheres que exercem a prostituição nos hotéis da Guaicurus, que lotaram o Espaço de Acolhida Cantinho da Paz, localizado na sede da Pastoral da Mulher. Contamos também com a presença da Sociedade Civil Casas de Educação (das Irmãs do Sagrado Coração de Maria), representadas por Iracema Soares;  Escola de Enfermagem da UFMG (representadas por quatro das estudantes que desenvolvem conosco as Oficinas de saúde) e representantes da APROSMIG – Associação das Prostitutas de Minas Gerais.

Foram apresentados o conceito e os instrumentos de comunicação elaborados, tais como a revista em quadrinhos intitulada “As garotas do hotel”, os cartazes e panfletos que visam conscientizar os clientes e a sociedade em geral contra o preconceito, e também vêm reforçar a necessidade de atenção à saúde das mulheres, chamando-as ao empoderamento pela vida.

Foram apresentados, em primeira mão, os vídeos de sensibilização produzidos para serem veiculados via internet, focando principalmente as redes sociais. Uma equipe de atrizes e atores, diretores de cena, produtores, dentre outros profissionais se mobilizaram e abraçaram a causa como voluntários. Essa união resultou em um belíssimo trabalho audiovisual.

Dois vídeos mostram parte do preconceito vivenciado pelas mulheres que exercem prostituição. Em suas vidas sociais, fora do ambiente dos programas, elas precisam lidar com a discriminação, com o assédio, com o estigma. Os vídeos serão oficialmente lançados no dia 24 de setembro, no Seminário A Prostituição: uma abordagem desde os Direitos Humanos, a realizar-se na Escola de Direito Dom Helder Câmara.

Após exibição dos vídeos, abriu-se a roda para comentários e ficou clara a identificação das mulheres com as cenas propostas, ratificando ainda mais a base de informações utilizadas para criação do roteiro. Tudo entrou em sintonia! As atrizes captaram a essência, a produção atentou para cada detalhe, o cuidado com a fotografia e com o conteúdo foram extremamente importantes para que tudo saísse perfeito. Nada seria possível sem o apoio de todas as pessoas envolvidas.

Em um segundo momento,   ocorreu a  memória e  ação de graças pelos 33 anos de vida da Pastoral. Uma das fundadoras da instituição,  Ir. Ivoni Grando, do Instituto das Irmãs Oblatas do Santíssimo Redentor, trouxe à tona a história da Pastoral, que começou no bairro do Bonfim em 1982 (Belo Horizonte). Ao fazer uma síntese histórica,  ela lembrou das irmãs, voluntári@s e mulheres que foram passando ao longo dos anos pela Pastoral, em um emocionante relato.  Em seguida, Ir. Pilar Laria declamou um poema em homenagem a este dia.  As outras irmãs oblatas que também compõem a atual equipe da Pastoral (Ir. Leonira Camattta,  Ir. Amélia Cesconato  e Ir. Evelyn Caroline), ajudaram no bom desenvolvimento da celebração. Todas,  com sua generosa entrega à causa da mulher em situação de prostituição, junto com outras irmãs que também ajudaram a construir a caminhada da entidade, fizeram e fazem possível manter a missão e a esperança que sustenta a Pastoral da Mulher e todos os Projetos Oblatas. Juntamente com elas, esteve presente nossa engajada equipe de profissionais voluntários que colaboram para a realização do evento.
A festa seguiu acompanhada de muita música interpretada por Iracema (Rede Sagrado-REAJE), bolo de aniversário e partilha.

O projeto Diálogos pela Liberdade teve início em 2014, ano em que focou o Tráfico de pessoas, em especial o Tráfico de Mulheres para fins de exploração sexual. Na época, foi realizado um Congresso Internacional na sede da OAB/MG e também um Cine-Diálogos, com apoio da Escola de Direito Dom Helder Câmara.

Neste ano, o projeto aborda diretamente a missão da Pastoral da Mulher, que busca condições para a defesa das garotas de programa, dando-lhes suporte na defesa da vida, da liberdade, da segurança pessoal, da proteção contra a violência, da proteção da igualdade perante a lei, da liberdade de expressão e da não discriminação.

O projeto visa atuar em dois âmbitos diferenciados e, ao mesmo tempo, inter-relacionados:
  • Enfrentamento do estigma e sensibilização social para diminuir o preconceito e a discriminação sofrida pelas prostitutas.
  • A promoção dos direitos humanos dessas mulheres focando seu empoderamento.

O cinema e suas diversas abordagens sobre prostituição #1

139-o-cc3a9u-de-suely

O CÉU DE SUELY

Hermila (Hermila Guedes) é uma jovem de 21 anos que está de volta à sua cidade-natal, a pequena Iguatu, localizada no interior do Ceará. Ela volta juntamente com seu filho, Mateuzinho, e aguarda para daqui a algumas semanas a chegada de Mateus, pai da criança, que ficou em São Paulo para acertar assuntos pendentes. Porém, o tempo passa e Mateus simplesmente desaparece. Querendo deixar o lugar de qualquer forma, Hermila tem uma ideia inusitada: rifar seu próprio corpo para conseguir dinheiro suficiente para comprar passagens de ônibus para longe e iniciar nova vida. (Sinopse adoro cinema)

confissc3b5esdeumagarotadeprograma

CONFISSÕES DE UMA GAROTA DE PROGRAMA

Chelsea (Sasha Grey) é uma garota de programa de luxo de Manhattan, que oferece mais que uma relação sexual. Por uma alta quantia ela oferece uma relação completa, como se fosse uma “namorada de aluguel”. Chris (Chris Santos), seu verdadeiro namorado, convive bem com a situação e divide um apartamento com ela. Em outubro de 2008, os Estados Unidos entram em uma grave crise financeira, o que faz com que Chelsea busque com seus clientes opiniões sobre a melhor forma de proteger seu dinheiro. Paralelamente, Chris começa a crescer profissionalmente, afastando-se da namorada. É neste contexto que Chelsea conhece Phillip (Phillip Eytan), um cliente novo que passa a ouvi-la desabafar sobre sua carreira. (Sinopse adoro cinema)

artwork-whores-glory

A GLÓRIA DAS PROSTITUTAS

3 países, 3 línguas, 3 contextos diferentes. Em seu documentário, o cineasta Michael Glawogger retrata prostitutas na Tailândia, Bangladesh e México, e prova que a prostituição não é igual em qualquer lugar do mundo, por mais que tudo se resuma a sexo e uma visão machista de mundo. Na Tailândia mostra o “aquário” onde as garotas ficam expostas até serem escolhidas pelos senhores engravatados, isso claro,  depois de baterem cartão, ao chegar ao trabalho. Em Bangladesh mostra mulheres vivendo na imundice sob responsabilidade de cafetinas, numa bagunça onde conseguem clientes entre empurrões. No México, numa rua cheia de casinhas de um quarto, as portas dão direto para a rua e os carros apenas estacionam na porta das “escolhidas”.

Diferentes formas de atrair clientes: aproximando-se dessas mulheres, descobrimos fortes ligações religiosas (sejam quais forem as religiões); ingenuidade oriental à depravação latina de quem vive do crack e do vício. Essa é a prostituição que move o mundo, mulheres que fazem o que esposas e namoradas não fazem, vivendo da marginalidade profissional em submundos nojentos. Glawogger não traz novidades, mas expôs comparações de mundos idênticos em comportamentos antagônicos.

(sinopse da Toca do Cinéfilo)

princesas

PRINCESAS

Cayetana (Candela Peña) vem de uma família de classe média espanhola que ignora a sua vida de prostituta. Ela e outras profissionais do sexo passam o tempo em um salão de cabeleireiro, reclamando das colegas imigrantes que cobram barato e roubam seus clientes. Uma dessas imigrantes é Zulema (Micaela Nevárez), dominicana que usa o dinheiro ganho nas ruas para sustentar o filho, que continua em sua terra natal. Um dia, Cayetana encontra Zulema espancada e a leva ao hospital. No caminho, descobrem que ambas idealizam um improvável amor e são isoladas de suas famílias. (Sinopse adoro cinema)

Diálogos realiza vídeos de sensibilização contra o preconceito sofrido por prostitutas

Encontro Diálogos
A Pastoral da Mulher de BH (Unidade Oblata em MG) recebeu na sua sede o diretor de fotografia e artista visual, Guilherme Costa,  Nanda Soares, comunicadora e articuladora social, e a equipe de produção e atores que se uniram ao Projeto Diálogos pela Liberdade a fim de produzir dois vídeos de sensibilização contra o preconceito sofrido pelas prostitutas.

Este projeto, realizado em parceria com Misereor, agrega também outros materiais de sensibilização, tais como a revista em quadrinhos que leva o título de “As garotas do hotel”, cartazes e folhetos que serão distribuídos no hipercentro de BH (zona Guaicurus). Além disso, para ampliar o debate e reflexões trazidas pelo projeto, será realizado um Seminário sobre “Prostituição e Direitos Humanos”, com data prevista para Setembro, na Escola de Direito Dom Helder Câmara.

O diretor Guilherme  Costa, também conhecido como “Guilherme Pedreiro”, é um jovem e brilhante pesquisador de linguagens visuais, que conseguiu reunir um nutrido elenco de atores e atrizes profissionais, com experiência no teatro e cinema, para nos apoiar.

Durante a reunião, comentamos aspectos relativos à atuação da Pastoral e à realidade vivenciada cotidianamente pelas mulheres que exercem a prostituição, abordando a essência do conteúdo dos roteiros, bem como o propósito dos vídeos. A roteirista Nanda Soares falou sobre a construção dos textos, que tiveram como base o trabalho de campo da Pastoral, depoimentos das mulheres atendidas, a pesquisa relativa às relações de gênero e machismo embutido nos diálogos, bem como o olhar das profissionais do sexo sobre o preconceito que enfrentam. O objetivo é conscientizar a sociedade sobre as consequências do estigma na vida das mulheres que exercem a prostituição, mas também empoderá-las pela defesa dos seus direitos.

Depois de combinar a data dos ensaios e filmagem, o nosso encontro terminou com uma salva de palmas, pela riqueza da partilha, pela criatividade das propostas e  pelo entusiasmo manifestado por todos e todas para este trabalho. Agradecemos muito a disponibilidade e colaboração deste valioso grupo de artistas com a nossa causa.

Blitz da Saúde com apoio da APROSMIG e Escola de Enfermagem do Uni-Bh

Em parceria com a Escola de Enfermagem da UNI-BH, a Pastoral da Mulher de BH (Unidade Oblata em MG) realizou uma blitz da saúde. No local foram oferecidas vacinas, exames de glicemia e, verificação de pressão arterial, orientações sobre cuidados com a saúde, informações sobre autoexame de mama e sobre Papanicolau. A colaboração com APROSMIG permitiu uma boa divulgação deste evento entre as profissionais do sexo de Belo Horizonte.
O projeto Diálogos pela Liberdade (coordenado pela Pastoral da Mulher), atuante na proposta de defesa dos direitos humanos das garotas de programa, ofereceu também vacinação contra a gripe,  hepatite B, febre amarela, dupla adulto (previne contra tétanos e difteria) e triviral (previne contra sarampo, rubéola e caxumba). Ao mesmo tempo, em outra sala, foi oferecido massagem relaxante  e esfoliação corporal.  Todas as participantes receberam  um Kit lanche saudável.
A Blitz da Saúde, realizada pela Pastoral no Dia Internacional da Prostituta,  colocou à disposição das mulheres que “batalham”  no hipercentro de Belo Horizonte, diversos atendimentos, possibilitando a todas a realização de alguns exames que podem auxiliar no acompanhamento da saúde de uma forma em geral. Todas as atividades são gratuitas.
Aproximadamente 100 mulheres passaram pelas dependências da Pastoral e conferiram os serviços disponibilizados, realizando  teste de glicemia e glicose, orientações sobre prevenção de DST e recebendo as vacinas disponibilizadas para elas pela Escola de Enfermagem da UNI-BH.
O evento também serviu para apresentar uma nova cartilha de saúde elaborada pelos Alunos da Escola de Enfermagem da UFMG, acompanhados pela professora Eliana Villa.
Queremos agradecer a todas as mulheres que  atenderam ao nosso chamado, comparecendo  na sede da Pastoral. Afinal, nosso objetivo foi oferecer a todas elas a oportunidades de realizar exames importantes, que auxiliam nos cuidados básicos com a saúde. Esta foi uma das muitas ações que realizamos, dentro do Projeto Diálogos pela Liberdade, procurando melhorar as condições de vida  das mulheres que exercem a prostituição, promovendo sua saúde, cidadania e direitos. 

Diálogos pela Liberdade 2015

O projeto DIÁLOGOS PELA LIBERDADE foi criado para levar informação à população, fomentando a área de conhecimento sobre direitos da mulher e sensibilização contra a violência de gênero. Idealizado pela Pastoral da Mulher, que têm como missão promover ações que favoreçam a autonomia e protagonismo das mulheres que se encontram em situação de prostituição, o projeto “busca superar visões distorcidas moralistas e preconceituosas sobre as garotas de programa, que acabam por colocá-las como “vítimas” ou “coitadinhas”, reduzindo-as aos aspectos de fragilidade e impotência e imobilidade. São elas as principais promotoras de seu processo. Por isso, nos colocamos ao seu lado, como companheiras e companheiros de caminho, e defensoras/es da vida e dignidade.

Em 2014, o projeto Diálogos pela Liberdade atuou com foco na sensibilização sobre 0 tráfico de pessoas, abordando principalmente o tráfico para fins de exploração sexual. As mulheres, em sua maioria, com o perfil jovem, socioeconomicamente desfavorecidas, são as maiores afetas. Com o respaldo da UNODC, foram realizadas ações de prevenção, debates e encontros para formar agentes multiplicadores.