Diálogos pela Liberdade divulga a 2ª edição da Revista Garotas do Hotel

Revista Garotas do Hotel 2

Em 2016, foi lançada a 2ª edição da revista em quadrinhos GAROTAS DO HOTEL, material informativo e de sensibilização que tem como tema e público as garotas de programa que atuam nos hotéis da Zona de prostituição da Guaicurus, localizada em Belo Horizonte.

O Projeto Diálogos pela Liberdade é uma iniciativa da Rede Oblata, que trabalha a problemática que afeta diretamente as mulheres que exercem a prostituição. O projeto visa conscientizar sobre o estigma sofrido pelas garotas de programa, trabalhalhando temas como desigualdade de gênero, empoderamento, cidadania, vulnerabilidade social e violações de direitos. A revista é instrumento criativo de aproximação e informação sobre saúde, direitos humanos e temas relacionados às mulheres.

A produção da revista tem como inspiração experiências e histórias das próprias mulheres atendidas pelo projeto, que têm acesso a rodas de conversa, atendimento psicológico, terapias holísticas, cursos de capacitação, orientação e encaminhamento social. Em março de 2017, será lançada a 3ª edição que tocará em outros assuntos trazidos pelo grupo Filhas da Luta, formado por garotas de programa que debatem sobre seus direitos, sonhos, tristezas e perspectivas.

Acesse a revista no link abaixo:

//e.issuu.com/embed.html#19110193/43452988

Coordenação: @dialogospelaliberdade 

Roteiro e Direção Criativa: @conectidea 

Ilustração: @BlackInk.Cursos
Anúncios

ASPROMIG divulga projeto de Museu do Sexo e seleciona residentes para criação de obras

Reprodução imagem fan page aprosmigA APROSMIG está selecionando residentes para o Museu 𝐃𝐀𝐒 𝐏𝐔𝐓𝐀𝐒! , que tem como objetivo a produção de obras com a temática do sexo, a partir das experiências e vivências das prostitutas.

Segundo a associação, os residentes serão os responsáveis pela produção das obras e ficarão um mês imersos nos hotéis da Rua Guaicurus – BH/MG, um dos maiores complexos de prostituição do Brasil.

As inscrições vão até o dia 17 de agosto de 2016.

Podem se inscrever para a residência prostitutas, artistas, pesquisadores, entre outros profissionais. O Museu do Sexo das Putas possui caráter interdisciplinar e, por isso, a variedade de formações será contemplada na escolha dos residentes. Será selecionado pelo menos um residente de cada região do país. É necessário ter disponibilidade para ficar o mês de setembro imerso nos quartos de hotéis. Cada residente receberá a remuneração de R$ 3mil.

Acesse  o edital  AQUI.

Fonte: ASPROMIG 

Jornal Grito Mulher aborda estigma e violações de direitos humanos das prostitutas

Esta edição do Grito Mulher pretende suscitar o debate sobre a situação das mulheres que exercem a prostituição, o estigma e as violações de direitos humanos que lhes afetam particularmente (como violência, falta de condições mínimas de higiene, insalubridade dos locais de prostituição, exploração econômica e a falta de proteção frente a determinados clientes e donos desses locais). Para além da velha e ultrapassada discussão entre abolicionistas e regulamentaristas, pretendemos promover a reflexão a partir de novas perspectivas, surgidas dos relatos e demandas apresentadas pelas próprias mulheres que estão nesse meio. Buscamos também motivar a discussão sobre quais são as medidas mais eficazes para seu empoderamento e para sua proteção social e jurídica. A experiências destes anos no acompanhamento de mulheres em situação de prostitui- ção nos ensinou que não serve qualquer medida abolicionista nem qualquer tipo de regulamenta- ção. O enfrentamento da vulnerabilidade e a discriminação que sofrem nos exige “sair da caixinha”, pensar diferente, determinar caminhos alternativos, em colaboração com outras entidades e movimentos sociais e com as próprias associações de prostitutas que lutam para melhorar suas condições de vida.