Inscrições abertas para o Seminário Dialogando sobre Preconceito na Prostituição: Luta Por Direitos

Evento Gratuito – Inscrições abertas

No dia 23 de novembro, na Câmara Municipal de Belo Horizonte, será realizado o Seminário Dialogando sobre Preconceito na Prostituição – Luta Por Direitos, que tem o objetivo de debater e sensibilizar sobre as diferentes perspectivas da luta por direitos das profissionais do sexo, o enfrentamento da discriminação e o preconceito que lhes af

eta de modo especial. O encontro visa contemplar a prostituição como fenômeno que se situa nas interseções entre sexualidade, economia, trabalho, poder, moral, relações de gênero, entre outros.

Objetivos específicos do seminário:

• Refletir sobre a questão do estigma, o preconceito e diferentes formas de violência simbólicaque atingem as profissionais do sexo. Escutar da própria voz delas sua opinião sobre o tema e propostas de enfrentamento.
• Dialogar com representantes de órgãos públicos com competências nessa matéria.
• Analisar, a partir da atual conjuntura sociopolítica, as iniciativas de luta por direitos das organizações de trabalhadoras sexuais.
• Sensibilizar a sociedade sobre esta problemática.

Programação

8h30 – Credenciamento.

9.00 h Mesa de Abertura.  Pedro Patrus (vereador BH), Gilson Reis (vereador BH),  Marília Campos (deputada Estadual MG) , Maíra da Cunha Pinto Colares(secretaria Politicas Sociais PBH)

9.30 h Reivindicação de prostitutas e tensões com grupos feministas e com o Estado  . Adriana Piscitelli (antropóloga)

10h30 – Gênero, estigma e preconceito na prostituição.
Debatedores: Vitor Costa (sociólogo), Isabel Brandão (psicóloga) e Juliana Jayme (socióloga).

14h00 – Enfrentando a criminalização da prostituição.
Debatedores: Thaddeus Blanchette (antropólogo social ), Barbara Lobo (jurista)
15h30 – Luta por direitos das organizações de trabalhadoras sexuais.
Debatedoras: Monique Prada (CUTS), Cida Vieira (Aprosmig), Lucimara Wienisky (Filhas da Luta) e Santuzza (CUT’s).

Público: profissionais do sexo, instituições governamentais e Entidades vinculadas à defesa de direitos e à causa da mulher, integrantes dos movimentos sociais, formuladores de políticas públicas, pesquisadores, professores e estudantes universitários de diferentes áreas.

Inscrições: https://www.sympla.com.br/dialogando-sobre-luta-por-direitos__210197

Serviço

Realização: Projeto Diálogos pela Liberdade
Local: Câmara Municipal de Belo Horizonte
Data: 23 de novembro de 2017

Sobre o projeto: O Projeto Oblata Diálogos pela Liberdade 
(Pastoral da Mulher de BH) tem por finalidade contribuir para a
promoção e defesa dos direitos humanos das mulheres que exercem
a prostituição. O combate contra o preconceito histórico-cultural
que existe em relação à prostituição se configura como um dos
desafios mais importantes do nosso Projeto. Para essa finalidade,
atuamos em parceria com outras Entidades e com algumas das 
organizações de trabalhadores sexuais existentes.

Informações: dplbh@oblatas.org.br | 31 3272-7349
Anúncios

Evento em BH defende fim de preconceito contra as prostitutas

Título: EditorialSub título: Revista EncontroMatéria: ENC143NEG_favela_250313_SGDescrição: Personagem: Cida Vieira, presidente da Associação das Prostitutas de Minas GeraisLocal: Rua Guaicurus, 648, CentroContato:  Cida Vieira -  9723-8325 ou 3201-1799Data: 25/03 às 10hJornalista: Pabline FelixFotógrafo: Samuel Gê

Título: EditorialSub título: Revista EncontroMatéria: ENC143NEG_favela_250313_SGDescrição: Personagem: Cida Vieira, presidente da Associação das Prostitutas de Minas GeraisLocal: Rua Guaicurus, 648, CentroContato: Cida Vieira – 9723-8325 ou 3201-1799Data: 25/03 às 10hJornalista: Pabline FelixFotógrafo: Samuel Gê

Prostitutas receberam orientação jurídica sobre problemas familiares, agressões e questões ligadas ao projeto de lei que legaliza a atividade.

Com shows musicais, vacinação, grafite e orientação jurídica e psicossocial, prostitutas de Belo Horizonte comemoraram ontem, pelo terceiro ano seguido, o Puta Day. “É mais um dia de luta, de quebra de preconceitos”, afirma a presidente da Associação das Prostitutas de Minas Gerais (Aspromig), Cida Vieira.

No evento, realizado no Shopping Uai, no centro, as prostitutas receberam orientação jurídica sobre problemas familiares, agressões e questões ligadas ao projeto de lei que legaliza a atividade, apresentado pelo deputado federal Jean Wyllys (PSOL).

“Acho muito difícil que esse texto seja aprovado. Esse é o Congresso mais reacionário de todos os tempos”, lamentou o advogado Orlando Januário, integrante da Associação dos Amigos da Rua Guaicurus que atende voluntariamente a classe.

Via Pastoral da Mulher – Fonte: O Tempo