PROJETO MELHORANDO A QUALIDADE DE VIDA DAS MULHERES EM HOTÉIS DO HIPERCENTRO DE BH

Com o Objetivo de garantir o acesso aos serviços de saúde integral e de direitos  socioassistenciais das mulheres que exercem a prostituição, a equipe do Diálogos pela Liberdade – Unidade Oblata BH, iniciou na última quarta-feira (13/02/2019) visitas a hotéis de prostituição da Rua Guaicurus e arredores, com atendimentos diversos às mulheres que lá batalham, dentre os quais:

  • Informações e orientações dos serviços de saúde integral e da rede sócioassistencial;
  • Massagem anti-estresse e relaxante;
  • Auriculoterapia;
  • Informações e orientações sobre os serviços realizados na sede do Diálogos pela Liberdade;

20190213_113743.jpg

  • Distribuição de materiais informativos;
  • Aferição de pressão arterial; roda de conversa sobre saúde preventiva e atendimentos personalizados (Profa. Dra. Eliana Aparecida Vila);

A Professora Eliana esclareceu dúvidas sobre o PrEP – Profilaxia Pré-Exposição ao HIV – método de prevenção à infecção pelo HIV; e sobre o PEP – Profilaxia Pós-Exposição ao HIV – é uma medida de prevenção à infecção pelo HIV que consiste no uso de medicação em até 72 horas após qualquer situação em que exista risco de contato com o HIV como na relação sexual desprotegida (sem o uso de camisinha ou com o rompimento da camisinha). 25 mulheres participaram da roda de conversa.

No total, 55 mulheres receberam atendimentos diversos nesta primeira ação do ano 2019.

É a Unidade Oblata Diálogos pela Liberdade, atuando dentro de hotéis de prostituição, com o objetivo de promover VIDA e DIGNIDADE das mulheres que exercem a prostituição no hipercentro de BH.

Anúncios

CURSO INTERVENÇÃO SOCIAL NA PROSTITUIÇÃO E SUAS INTERFACES – 25 e 26/02/2019

untitled

A  INTERVENÇÃO SOCIAL NA PROSTITUIÇÃO e suas interfaces. Experiência de intervenção social do Projeto Oblata Diálogos pela Liberdade.

 O curso  pretende aprofundar desde diferentes perspectivas  a realidade da prostituição e as possibilidades de intervenção social que potencializem as mulheres na busca da efetivação de seus direitos e na construção de possibilidades diversas de enfrentamento aos desafios postos pela realidade.

Destinatários: Voluntários/as, candidatos a serem voluntários na nossa Entidade,  pessoas interessadas em conhecer a realidade da prostituição ou o trabalho de nosso unidade Oblata. Estudantes, profissionais e integrantes de associações e instituições que trabalham com temas de género e/ou especialmente em áreas de intervenção em prostituição.

Datas: 25 e 26 de fevereiro de 2019, das 13.30 às 17.00 h

Local : Sede da Unidade Oblata Diálogos pela Liberdade -Pastoral da Mulher – BH Av. Santos Dumont, 664 – sl 327 – Centro 30.111-040 Tel. (31) 3272-7349 (31) 8751-2848 Belo Horizonte/MG/Brasil.

Objetivos específicos

  •  Oferecer instrumentos teóricos sobre a realidade da prostituição.
  • Compreender  a prostituição num contexto amplo.
  • Oferecer ferramentas para promover os direitos das mulheres que exercem a prostituição e apoiar seu necessário protagonismo.

Temas abordados:

  • Os Projetos Oblatas e a missão de trabalhar na defesa dos direitos das mulheres que exercem a prostituição.
  • A prostituição feminina no centro de BH:

    o A indústria do sexo na cidade de BH; funcionamento dos hotéis de alta rotatividade

    o Perfil das mulheres que exercem a prostituição no hipercentro.

  • “As prostitutas são mulheres; os prostituidores são homens” : a prostituição desde um olhar de gênero.
  • Empoderamento e estigma
  • Prostituição e direitos humanos
  • A metodologia de intervenção desde os projetos oblatas:

    o   Abordagem

    o   Acolhida

    o   Formação integral focada na afirmação de cidadania e no protagonismo

    o   Sensibilização social / Advocacy

  • A promoção da saúde física e emocional das mulheres que exercem a prostituição.

Unidade Oblata Diálogos pela Liberdade Belo Horizonte

O Projeto Oblata Diálogos pela Liberdade (Pastoral da Mulher de BH) tem por finalidade contribuir para a promoção e defesa dos direitos humanos das mulheres que exercem a prostituição. O combate contra o preconceito histórico-cultural que existe em relação com a prostituição se configura como um dos desafios mais importantes que enfrenta nosso Projeto. Para essa finalidade atuamos em parceria com outras Entidades e com algumas das organizações de trabalhadores sexuais existentes.

INSCREVA-SE: https://www.sympla.com.br/intervencao-social-na-prostituicao-e-suas-interfaces__452459?d=

WORKSHOP – VIVENDO COM PROPÓSITOS

2019 começou com o pé direito! Mais um ano para viver! A Equipe da Unidade Oblata Diálogos pela Liberdade decidiu viver bem. Dando sentido e resignificando a vida e missão Oblata em prol da nossa humanização, enquanto cuidadoras; na luta pela vida das mulheres que exercem a prostituição e da nossa sociedade que, muitas vezes, tem trilhado caminhos opostos ao propósito de vida plena.

Iniciando o processo anual de formação da Equipe,  no dia 31 de janeiro damos o ponta pé inicial no projeto “CUIDAR DE QUEM CUIDA”. O workshop “Como viver de propósitos” foi ministrado pelo Fausto Coimbra (Personal & Professional Coach).

foi um convite ao autoconhecimento para abrir o caminho para uma vida mais engajada e feliz.

FELIZ NATAL! EQUIPE DO DIÁLOGOS PELA LIBERDADE – REDE OBLATA – BRASIL

A Equipe do Diálogos pela Liberdade – Rede Oblata Brasil, deseja a tod@s que colaboraram direta e indiretamente na promoção da vida e dignidade da Mulher que exerce a prostituição, um Feliz Natal e um ano novo cheio de paz, esperança e justiça social! Nossa GRATIDÃO!

CONFRATERNIZAÇÃO DE NATAL NO DIÁLOGOS PELA LIBERDADE

Na tarde do dia 19/12/2018, celebramos a Festa de Natal no Diálogos pela Liberdade – Rede Oblata Brasil, com a participação de 50 mulheres.

Com o tema: BELÉM É AQUI! CANTINHO DA ESPERANÇA, agradecemos a Deus pelo ano que se encerra e pedimos a graça de um 2019 cheio de Paz, Esperança e Justiça Social.

“Há muito tempo atrás, na Galiléia, havia um pequeno lugarejo chamado Nazaré que ficava situado num vale fértil e muito bonito, onde moravam cerca de cinco mil pessoas, a maioria camponeses sem estudos.

Devido a sua localização era pouso obrigatório das caravanas que vinham de Damasco, ou de Jerusalém, o que trazia para a cidade gente de toda espécie e tornava Nazaré mal frequentada e mal falada.

Era um tempo de muita opressão e injustiça, pois o governo de Roma explorava o povo cobrando altos impostos. Apesar das dificuldades as pessoas que ali viviam não desanimavam sonhava e lutavam pela justiça social. Acreditavam que um novo Rei viria e os salvariam da crueldade dos políticos da época.  Este era o assunto de todas as rodas de conversa: “nascerá um menino, um novo Rei justo e solidário que nos libertará da opressão do rei atual”.  O rei achava que aquilo era crendice boba do povo simples da Galiléia. Mas, no fundo no fundo, se sentia ameaçado e às vezes, nem conseguia dormir de tanto medo de perder seu trono.

Na pequena cidade de Nazaré havia um casal chamado José e Maria. Eles estavam muito felizes porque estava para chegar o seu primeiro filho. Mas, mesmo estando grávida, Maria e José tiveram que fazer uma longa viagem até Belém. O motivo desta viagem era cumprir as ordens do governo que, de tempos em tempos, exigia que todas as pessoas da região se cadastrassem e através das informações recebidas determinavam o valor dos impostos a serem pagos por cada pessoa.

Viajando sobre um jumentinho, em direção a Belém, Maria que já estava no final da gravidez, se sentiu muito cansada e pediu ao marido José que arrumasse uma pensão para eles passarem a noite. Acontece que Belém estava cheia de gente e não tinha nenhum lugar onde eles pudessem se hospedar.  Já exaustos de tanto procurar um pouso alguém lhes ofereceu o curral da casa.

E foi nesta noite que Maria começou a sentir as dores de parto.  Assim nasceu Jesus! Maria o enrolou em uns paninhos enquanto José limpava – bem limpinho –  um cocho para servir de berço para o bebê. Depois de amamentá-lo Maria colocou o filhinho no bercinho improvisado por José e ambos ficaram comtemplando a beleza daquela criança.

Alguns pastores que estavam por ali cuidando de suas ovelhas viram que aquela noite tinha um brilho diferente, um lindo cometa brilhava no céu. Observando aquela enorme estrela eles  sentiram muito medo. Afinal nunca tinham visto nada igual. Porém, no fundo de seus corações ouviram uma voz que lhes dizia: “não tenham medo! Tenho para vocês uma Boa Notícia, uma grande alegria para todo o povo. Nasceu para vocês o Messias, o Salvador. Vocês saberão que o encontraram quando virem uma criancinha enrolada em uns paninhos deitada em um cocho que lhe serve de bercinho. Corram! a estrela lhes mostrará o caminho.

Todos se maravilharam diante da notícia que os pastores lhes trouxeram: havia nascido um novo Rei, não como os poderosos esperavam, mas humilde, junto dos pobres sem trono, ouro ou poder. Seu nome é Emanuel, Deus conosco”. (Texto adaptado por Isabel Brandão).

Formatura – Cuidadora de Idosos e Mega Hair – Diálogos pela Liberdade – Rede Oblata Brasil

Depois de meses de participação ativa nos cursos de cuidadora de Idosos e Mega Hair, alunas comemoram a conquista com uma linda formatura.

Com a presença de familiares, professoras, amig@s e a equipe do Diálogos pela Liberdade, 16 mulheres receberam certificados de conclusão de curso.

O curso de Cuidadora de Idosos é uma parceria do Diálogos pela Liberdade com o CRISOL (Centro de Referência da Formação e Capacitação das Pessoas), sob coordenação do Sr. Gerson Xavier.

Os cursos oferecidos pelo Projeto Diálogos pela Liberdade tem por objetivo possibilitar às participantes desenvolver capacidades técnicas e práticas para o mercado de trabalho, e sobretudo, o fortalecimento da autoestima, autoconhecimento e capacidade de reivindicar direitos como cidadãs.

Frase de uma formanda do curso de Cuidadora de Idosos:

“Quero agradecer e Parabéns parabenizar à todas vcs pelo trabalho maravilhoso e de grande importância que vcs fizeram e fazem por todas nós. Que o senhor continue abençoando e multiplicando esse amor ao próximo que vcs nos ensinam para que esse trabalho continue levando amor e esperança aos que já não mais têm”. 

A mesa de honra esteve composta pela Ir. Priscila (representando o Instituto das Irmãs Oblatas do Santíssimo Redentor); Carolina Paixão (coordenadora do Diálogos pela Liberdade; Adriana Sol (professora escolhida pela turma de Cuidadora de Idosos como paraninfa); Gerson Xavier (coordenador do Crisol); Vagna Carvalho (professora do curso de mega hair).

É o Diálogos pela Liberdade – Rede Oblata Brasil, na luta pela justiça social e direitos humanos das mulheres.

img_8222.jpg

16 dias de ativismo pelo fim da violência de Gênero

Passeio Melhorando a Qualidade de Vida

No dia 28/11, a Unidade Oblata Diálogos Pela Liberdade realizou passeio com as mulheres, com o objetivo de despertar a importância de cultivar o bem-estar hábitos de vida mais saudáveis e uma melhor qualidade de vida.

O passeio aconteceu no Acampamento Shalom – Sabará – MG. A pouco mais de 35 minutos do Centro de BH. Um espaço propício para entrar em contato com a nossa essência primeira, através da natureza. (http://acshalommg.blogspot.com/).

Foi um dia de lazer, espiritualidade integradora, consciência de si e d@ outr@, despertar da força feminina a partir da reflexão histórica das nossas origens e resgate da força de vida que há em cada mulher.

Depois de comemorar a festa da Consciência Negra, nos 16 dias de ativismo, Isabel Brandão (psicóloga) trouxe a história d@s Bonec@s Abayomi, símbolo de resistência, tradição e poder feminino. Segue um pouquinho dessa história:

Para acalentar seus filhos durante as terríveis viagens a bordo dos tumbeiros – navio de pequeno porte que realizava o transporte de escravos entre África e Brasil – as mães africanas rasgavam retalhos de suas saias e a partir deles criavam pequenas bonecas, feitas de tranças ou nós, que serviam como amuleto de proteção. As bonecas, símbolo de resistência, ficaram conhecidas como Abayomi, termo que significa ‘Encontro precioso’, em Iorubá, uma das maiores etnias do continente africano cuja população habita parte da Nigéria, Benin, Togo e Costa do Marfim. Sem costura alguma (apenas nós ou tranças), as bonecas não possuem demarcação de olho, nariz nem boca, isso para favorecer o reconhecimento das múltiplas etnias africanas”. (http://www.afreaka.com.br/notas/bonecas-abayomi-simbolo-de-resistencia-tradicao-e-poder-feminino/). 

Lucinete Santos (Educadora Social) orientou na confecção da boneca através de uma oficina, onde cada participante, depois de conscientes do significado sócio-histórico e cultural, foi convidada a confeccionar a sua Abayomi, fundamentadas nas lutas, resistências e superações ao longo da vida.

Ir. Alexandra (religiosa Oblata do Santíssimo Redentor), abrilhantou a tarde acompanhando com seu violão os mais diversos ritmos, cantos e músicas que fizeram e fazem parte da história de cada uma.

IMG_7866

Enquanto isso, na cozinha do acampamento, Elis Sena e Ir. Leonira Camatta preparavam um delicioso almoço.

IMG_7794

É a Unidade Oblata Diálogos pela Liberdade na promoção da qualidade de vida e direito ao lazer e cultura para as mulheres.

Semana de Exames Preventivos na Unidade Oblata Diálogos pela Liberdade

Em parceria com o Hospital Sofia Feldman e com os coletivos Rebú e Clã da Lobas (organização de mulheres da Rua Guaicurus), foi possível realizar exames preventivos em 74 mulheres que exercem a prostituição nos hotéis da região.

Os exames aconteceram dos dias 19 a 23 de novembro, de 09h às 17h, na Unidade Oblata Diálogos pela Liberdade.

“Eu queria agradecer a oportunidade, é uma chance de ouro para as residentes conhecerem essa realidade, porque elas enquanto enfermeiras, ficam muito fechadas dentro do hospital, vendo só a realidade das mulheres que procuram assistência. Aqui a gente veio trazer assistência para as mulheres que trabalham nesses hotéis. Essa ação está sendo extremamente importante pra nós, até para podermos desestigmatizar. Quando a gente conhece a realidade a gente muda completamente a nossa forma de agir. O hospital Sofia Feldman já tem essa história de desbravar e trabalhar com o ‘novo’. O Sofia é o pioneiro no Parto Humanizado no Brasil. Nossa equipe sempre teve essa visão sensível com a mulher. Vendo essa oportunidade de através do Sofia, trazer essa assistência para as mulheres é maravilhoso. Eu espero que seja a primeira de muitas” (Karina Cristina – Enfermeira Obstétrica – do Hospital Sofia Feldman).

WhatsApp Image 2018-11-23 at 10.19.20

Jade (representante do Coletivo Clã das Lobas) esteve presente todos os dias da semana atuando para o bom êxito do trabalho. Taís também representa o coletivo.

Santuzza representa o Coletivo Rebú.

IMG_7654

Santuzza – representante do coletivo Rebú (camisa azul)

A parceria do DpL com o Hospital Sofia Feldman, através da demanda dos coletivos de mulheres, fazem parte de três objetivos da instituição: sensibilização social, advocacy e apoio a grupos de mulheres.