Cine-Diálogos apresenta”O QUE A VIDA FEZ DA GENTE E O QUE A GENTE FEZ DA VIDA”

Na tarde desta quarta-feira (3 de setembro), o Projeto Diálogos pela Liberdade, em parceria com a Escola de Direito Dom Helder Câmara, exibiu o filme documentário  “O QUE A VIDA FEZ DA GENTE E O QUE A GENTE FEZ DA VIDA”, que aborda a trajetória de mulheres guerreiras que foram ou são prostitutas. O filme produzido pela Pastoral da Mulher emocionou e mostrou a realidade a partir das protagonistas das histórias.

Nelio Souto, jornalista e diretor do documentário, abriu a mesa redonda falando sobre sua experiência nesse projeto e ao longo de 10 horas de gravação com as mulheres, revelando as adaptações para direcionar as filmagens e expressar a essência de cada personagem (real). Nanda Soares, relações públicas roteirista do documentário, trouxe a perspectiva da sensibilização sobre vulnerabilidade social como um dos objetivos do filme e comentou o trabalho realizado com a Pastoral da Mulher como ponto-chave para uma visão mais humana e próxima da realidade das protagonistas. Kiwonghi Bizawu (Doutor em Direito Público – Direito internacional e professor de Direito internacional Público e Privado na Escola Superior Dom Helder Câmara) abordou de modo mais direto a relação da prostituição com o tráfico de pessoas, a importância da defesa dos direitos humanos e da educação das meninas como forma de prevenção a fenômenos que estigmatizam, geram violência e privação de oportunidades. Regina Medeiros (Doutora em Antropologia Social e cultural) comentou as falas das mulheres do documentário, relacionando-as com a questão do cuidado na primeira infância, a perspectiva do amor se sobrepondo às dificuldades e o enfrentamento do estigma em busca de uma vida melhor.

O espaço para o diálogo com a plateia trouxe questões como a não vitimização das prostitutas, a necessidade de políticas públicas de prevenção à violência e tráfico de pessoas, a pobreza, a superação  e a necessidade de um olhar mais real, mais aproximado sobre o que se passa por trás de cada história, sem o peso do preconceito e dos julgamentos. Isabel Furtado, psicóloga da Pastoral da Mulher, falou sobre a importância de um trabalho em rede, do cuidado, da atenção que complementa o tratamento psicológico realizado na Pastoral.

Confira a programação do Cine-Diálogos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s